Arte e Intervenção Ecofeminista

Poder {ecofeminismos} artes e palavras.
Criação e subversão.
Dizer, performar, tomar a terra…

Quatro artistas apresentam e discutem a sua abordagem ao ecofeminismo através da arte, na sua pesquisa, nos seus processos de criação e de intervenção cultural.

em Ecofeminismos

25 de Novembro, domingo, 10h00

Oradoras

Carla Cruz e Leonor Pardacarla_cruz

Carla Cruz e Leonor Parda são artistas e investigadoras independentes, sedeadas a norte do Equador, a este do meridiano de Greenwich e separadas pelo Golfo da Biscaia e pelo Canal da Mancha. As suas práticas artísticas individuais exploram metodologias feministas, práticas colaborativas, construção de comunidade, desobediência crítica, microeconomias dos afectos, apoio mútuo e a interdependência fluida como formas de resistência aos processos de globalização neoliberal.

Judite Canha Fernandes

Judite FNascida no Funchal, 1971. É doutorada em Ciência da Informação, licenciada em Ciências do Meio Aquático, pós-grad. em Ciências Documentais, Biblioteca e Arquivo e procura um pós-doutoramento em Estudos Literários. É escritora, performer, curinga [teatro d@ oprimid@], feminista, bibliotecária, activista, mãe, investigadora, sem nenhuma ordem em especial. Gosta de coisas muito diferentes e é algo avessa à ordem. Foi representante da Europa no Comité Internacional da Marcha Mundial das Mulheres entre 2010 e 2016. Deu conferências e palestras um pouco por todo o mundo sobre género e feminismos e, sempre que a convidaram para assim conversar, fez o melhor que pode.

Teena Pugliese (Standing Rock, EUA)

teenaTeena é uma cineasta e activista digital que actualmente vive na Reserva Standing Rock, no Dakota do Norte. Em 2016, ela viajou para lá para ajudar a criar conteúdo para parar o Dakota Access Pipeline. Ela co-produziu, editou e filmou conteúdo para Awake: A Dream From Standing Rock, um documentário actualmente na Netflix sobre o movimento NODAPL. Viaja pela Turtle Island (EUA) e ao redor do mundo criando conteúdo sobre importantes questões indígenas que constantemente fogem aos media tradicionais. Ela agora ensina os  jovens de Standing Rock, orientando-os sobre como contar suas próprias histórias e filmar, editar, produzir conteúdo que ajudará a mudar a narrativa do território nativo.

Moderadora: Joana Louçã